Androgenia e Bissexualidade:

Postado em


Gostaria de escrever um pouco mais sobre o assunto. Conforme a Diáspora, certas Divindades Yorubás/Nagôs foram sincretizadas a certos Mártires Católicos. A exemplo, Averekete na Nação Xambá é feminino, podemos encontrar na Nação Lukume Xangô sendo como divindade feminina, entre outros exemplos Ossaniyn e Oxossi. Porque? Porque de acordo com a diáspora um Santo deveria que possui-se atributos mais próximo da Divindade que ele iria representar seria o eleito ao Sincretismo. A exemplo, São Sebastião enfatizando as flechas de Oxossi foi o eleito a representa-lo mas sendo ele o Santo Padroeiro dos Homossexuais o mesmo em solo Brasileiro passou a ser considerado bi-ssexual. Porque bi-ssexual? Porque por falta de estudos a cerca do assunto, Erinlé (a qualidade de Oxossi em questão) marido de Otinlé, sendo esta última uma Divindade Feminina, pelo fator Sincrético passou a ser reverenciada através de uma Santidade masculina e por fim, o reflexo disto tornou o Orixá um Orixá bi-ssexual.

Ossaniyn por sua vez, não é uma Divindade totalmente Yorubá, pois denota de um culto particular, que, como já falado aqui, possui inclusive em solo Africano um Oraculo em especial. Ossaniyn ou (Agué) é o filho de Nanã e sendo este um Vodun o mesmo não pode jamais ser considerado bi-ssexual, porque?

Primeiro porque a bi-ssexualidade dos Orixás Nagôs não existe. As Divindades representam uma existência e como todos sabem a Cultura Yorubá não prevê relações homo-afetivas. Um homem ou mulher, para ser elevado a categoria de Divindade tem de estar dentro dos padrões culturais Yorubanos.

Nas questões de Androgenia, escuto muito, a exemplo referir-se Oxumaré. Oxumaré é um Deus Yorubá dos Oraculos, da Riqueza e sincretizado a Dãngbé considerado por vezes das chuvas. Mas Oxumaré não é Dãn! Dangbé é sim um Vodun Androgino metade Gbecen metade Frekuen pois na cultura de Dahomey os Voduns são naturais e como forças da natureza não possuem um estado físico e por isso, podem assim como Agué ser de multiplos sexos, mas cada sexo age em um dado momento, não sendo considerado uma bi-sexualidade. Explico:

Quando Dangbé é Frekuen é ele feminino, não existindo espaço para o masculino que ali ausenta-se por completo. Quando o mesmo é Bessém (na lingua yoruba escreve-se nesta grafia) o mesmo é masculino. Não é Dangbé um corpo de homem agindo como mulher nem mesmo uma mulher com desejos de um homem, até mesmo porque os Voduns não possuem corpos humanos, no exemplo de Dangbé o mesmo é uma Serpente.

Outro exemplo e neste uma Divindade Yorubá é Logun. Logun não é Androgino e nem poderia pois o mesmo é um Imole e não um Vodun, muitos menos bissexual. Logun não troca de sexo (Androgenia) nem é bi-ssexual por carregar Abebé. Todos devem debruçar-se de forma coesa na Mitologia para entender que a Divindade carrega os instrumentos de ambos os pais (mãe e pai), e veja, carrega Os Instrumentos e não o Sexo de ambos. Tão pouco existe Mitologia que justifique uma inclusão de Logun a uma relação homo-afetiva.

É raro homossexuais em Ifé serem iniciados a família Iwin, como é raro mulheres serem iniciadas a Ogun mas com a Diáspora devemos ser Teologos no assunto e é por isto que temos um Grupo de Estudos voltados a esta temática de entender que estas divindades passaram junto com sua prole sanguínea a representar “um novo mundo”, o mundo Ocidental. Tão pouco enfatizo que não existe homossexualidade na África o que trato aqui são questões culturais.

Nunca também disse que devemos “amar” a todos os Deuses, muitos Deuses na história da humanidade foram excluídos de culturas por serem ruins ou substituídos por outros. Isto ocorreu muito na Cultura Egípcia e não muito distante em nossa casa, ao contrário da exclusão fomos agregando Deuses. Por fim, a casa hospeda 16 Divindades, não posso dizer que me relaciono com as 16 mas é meu dever como Zelador oferecer a elas o meu respeito e a minha devoção. Claro que a todo momento, volto-me eu a família da Divindade o qual EU pertenço, e para fazermos este exercício devemos primeiro entender de Cultura, Liturgia, Cosmologia e principalmente, de Mitologia Yoruba.

Não posso eu chegar a Ogun através de Ogunté? Chegar a Omulú através de Iyemanja Sesún? chegar a Iyemanja Ataramogbá através de Xangô?

Devemos conhecer da essência de nossa iniciação, sem claro, jamais perder o respeito para com os Deuses.

Ontem ao me deparar com um RAIO em minha janela, fiquei a pensar nesta “mesmisse” que o Brasileiro fez com a Religião Yoruba, tornando a mesma uma religião de pobres e humildes. Jamais esqueçam que vocês são iniciados a Divindades Poderosas que outrora foram Reis e Rainhas de um lugar que não é Mítico, basta pegaram um Mapa e conhecer a origem de vocês mesmos. Procurem na força dos elementos das divindades de vocês o que vocês querem ser e sejam! E que o poder da Religião dos Orixás estejam com cada um de vocês!

Bàbá Kejaiye

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s